Tecnologia do Blogger.

A Ilha de Patmos


A ilha de Patmos é conhecida por ser o local para onde o apóstolo João foi exilado (conforme consta na introdução do livro bíblico de Apocalipse), Patmos foi usada como um lugar de banimento durante os tempos romanos. Segundo uma tradição preservada por Ireneu, Eusébio,Jerônimo e outros, o exílio de João aconteceu em 95 d.C., no ano décimo quarto do reinado de Domiciano. A tradição local ainda aponta a caverna onde João teria recebido a revelação para escrever o livro.


Patmos (em grego, Πάτμος) é uma pequena ilha da Grécia a 55 km da costa da Turquia, no mar Egeu. É uma das ilhas do Dodecaneso, e possui uma área total de 34,6 km² .


Constitui uma municipalidade grega com capital em Hora (ou Chora), às vezes erroneamente chamada Patmos. Skala é o único porto.


A ilha é dividida em duas partes quase iguais, uma do norte e outra do sul, unidas por um estreito istmo. A vegetação é limitada, e o relevo, formado de montes relativamente baixos, cujo pico mais alto é o Profitis Ilias (269 m).




Existe ainda um local que é tradicionalmente conhecido como a Caverna que João teve as revelações do Apocalipse .


Desde 1522, a ilha foi diversas vezes controlada pelos turcos, sendo capturada pelos italianos em 1912. Em 1948 passou definitivamente ao controle grego.




Referência bíblica: Ap. 1.9






Em Patmos, o Apocalipse foi revelado


Por decreto do imperador Deocleciano foi João banido para a ilha de Patmos, condenado "por causa da Palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo". Apoc. 1:9. Aqui, pensavam seus inimigos, sua influência não mais seria sentida, e ele morreria, afinal, pelas privações e sofrimentos.


Há hipóteses que dizem que na época de João havia uma prisão na Ilha onde seus encarcerados eram submetidos a trabalhos forçados em minas de pedra, é uma hipótese interessante, mas sem evidências mais detalhadas. Ao que parece a ilha de Patmos era uma prisão totalmente isolada, onde de tempos em tempos é que os soldados romanos viam deixar comida aos prisoneiros.


No entanto, justamente neste local isolado é que Deus mostra a suas maiores profecias, como descreve o próprio João no livro de Apocalipse: "REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo".



A ILHA DE PATMOS E O APOCALIPSE


Um equívoco comum e popular em comentários sobre a Ilha de Patmos onde o profeta João, esteve exilado, é que esta ilha seria deserta e abandonada. Isto deve-se especialmente a viajantes do século 19, que a descreveram como "uma estéril, rochosa, desolação, olhando lugar" (Newton 1865: 223) ou como "uma ilha selvagem e estéril" (Geil 1896: 70). Infelizmente, estas percepções do século 19 não são precisas na descrição da ilha nos tempos de João.




Esta pequena ilha (Ap 1:9), vulcânica fica no mar Egeu, 60 km da cidade turca de Mileto. Aqui o apóstolo João foi exilado e recebeu as visões registadas no Livro do Apocalipse (às vezes chamado O Apocalipse de São João). Este ponto de vista da ilha é da vila de Chora ao nordeste. No centro está o porto antigo e moderno, onde a cidade moderna de Skela está localizada. A acrópole antiga, conhecida como Kastelli, é para a esquerda.


O porto de Skela com a antiga acrópole (Kastelli) de Patmos para a direita. Situada na rota marítima entre Roma e Éfeso, o porto de Patmos era uma parada regular e importante ao longo da linha de comunicação e comércio entre estas duas cidades. Tradição da Igreja sugere que João estava exilado aqui da cidade de Éfeso, onde ele tinha vindo a servir como ancião.


Cinco cursos de pedra da antiga muralha em torno da acrópole de Patmos. A partir desse centro administrativo, os funcionários romanos tinham uma vista sobre o porto e as rotas marítimas.




Restos de porta a nordeste da acrópole. João provavelmente não viveu nesta área, que foi reservada para as autoridades militares e governamentais. Aparentemente livre para se mover sobre a ilha, João provavelmente residia numa das aldeias mais remotas. Gordon Franz




Kalikatsou Rock é o provável local de um templo de Afrodite. Nota ilhas vizinhas do Mar Egeu na distância. João faz referência a estas ilhas (Ap 6:14, 16:20). Embora chamado "a ilha mais sagrada" de Ártemis (Diana dos Efésios, Actos 19:28), a ilha abrigou três templos para Artemis, seu irmão Apollo, e Afrodite. Afrodite era a deusa do amor e da beleza.






O Mosteiro de São João acima da moderna cidade de Chora. Uma caverna abaixo do mosteiro é o local tradicional das visões de João.










O Psili praia Ammos, único na ilha por sua areia fina, sem pedras. é muito provável que João esteve quando ele viu a visão do Apocalipse 13: "Eu estava na areia do mar" (Ap 13:1, KJV).






Vera, sacerdotisa de Artemis de Patmos, é o tema desta pedra esculpida inscrição encontrada na ilha de Patmos. Datada do século 2 ou 3, que fornece informações valiosas sobre o culto de Ártemis (Diana) na ilha de Patmos. A oferta de sacrifícios à sacerdotisa sugere um templo na ilha, e que Vera é a sacerdotisa décima, sugere uma longa história de culto.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

links

os melhores blogs evangélicos

2leep.com

top visitas

agregadores

About This Blog

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP