Tecnologia do Blogger.

É possível perder a salvação?




Até certo ponto é comum ouvirmos frases como “e se Jesus voltasse hoje, você iria para o paraíso?”, “só quem perseverar é que será salvo”, “tem que ser fiel até a morte” e outras do gênero. Seus defensores, amparados em trechos bíblicos isolados, não se importam de tais  “doutrinas” serem carentes de maior embasamento teológico. Não apresentam outros argumentos que as sustentem, ao contrário da sã doutrina, em que determinadas passagens bíblicas são apoiadas e sustentadas por outras - pois a Palavra de Deus é uma só e não se contradiz. 



Para o pastor Adenauer Sampaio, a proliferação de certos ensinos se deve à forte influência ecumênica que vai ganhando espaço dentro das “igrejas” modernas, onde doutrinas estranhas se infiltram e vão aos poucos minando a fé e a sã doutrina. Por exemplo, vemos por aí certas correntes que ensinam que não se pode ter certeza da salvação, e outras que, mesmo sendo salvo, é possível decair dessa condição e se perder novamente. 

Vamos prestar atenção ao que a Bíblia ensina. Ela diz que Jesus Cristo é a nova, última e suficiente aliança de Deus com os homens. Hebreus 12:24 fala sobre “Jesus, o mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel”. “Nova aliança” porque Deus já havia feito com o Homem outros pactos, outras alianças, sobre as quais você pode ler mais aqui.(click aqui)

Como você poderá observar, Deus cumpre as alianças que faz. O Homem é quem sempre quebra o pacto, o que ocasiona sempre em algum tipo de juízo. O “agir” de Deus não é vinculado ao do Homem, porque Deus é perfeito e não é como o Homem, infiel: II Timóteo 2:13 - “Se formos infiéis, Ele permanece fiel; não pode negar-se a Si mesmo”.  A fidelidade perfeita de Deus é a garantia do cumprimento exato da Sua Palavra e Suas alianças. 

Vejamos o caso específico da maior de todas as alianças: Jesus. E o propósito da vinda de Jesus ao mundo foi a de conceder salvação. Esse fato está claro no versículo que é a síntese da Bíblia: (João 3:16) “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. A vida eterna que Jesus nos dá não é pelo nosso merecimento. Ao contrário, nada merecemos de Deus senão a sua justiça, mas pela Graça, ou seja, PRESENTE IMERECIDO, recebemos do Senhor a salvação (Efésios 2:5, 8, 9): “Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)... Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. Ora, se recebemos a salvação “não pelas obras”, por que a perderíamos “pelas obras”?


A questão é: quando recebemos a salvação? Quando somos batizados ou quando morremos? Ou só quando formos julgados no futuro? A Bíblia nos ensina que somos salvos a partir do momento em que aceitamos a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas. Esse momento precioso conhecido como “conversão”. É isso que marca o início da vida eterna. O que vem após a conversão é a “santificação”, que é o aperfeiçoamento do homem, na vida segundo os ensinos do Senhor. Esse sim é um processo que durará por toda a vida do cristão convertido. Sobre a conversão e a vida eterna, vejamos João 3:36 – “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”;  5:24 – “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”;  6:47 – “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna” ; 6:54 – “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”;  e também a carta de I João 5:12 – “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”. Note que em todos os versículos o tempo do verbo está no presente – “tem a vida” – e não no futuro. De sorte que recebemos a salvação no momento da conversão. É na conversão que aceitamos o pacto do Senhor em Jesus. Deus não volta atrás em suas alianças, de forma que só isso bastaria para entendermos que o convertido não perde a salvação. 


Entretanto, a Bíblia tem ainda mais textos que acabam com qualquer dúvida. João 6:37 – “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (grifo meu). 
O Senhor jamais nos lançará fora, até porque no momento em que o aceitamos, quando somos convencidos pelo Espírito Santo do pecado, da justiça e do juízo (cf. João 16:8) estamos exercitando ao máximo o vocábulo “religião”, que significa “religar”, isto é, “restabelecendo a ligação com a Deus” – o que só é possível através de Jesus. João 14:6 – “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”.
Outro motivo pelo qual o Senhor nosso Deus não retira a salvação, é porque através de Jesus somos feitos filhos de Deus. João 1:12 diz: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”; Romanos 8:14 –“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus” ; Gálatas 3:26 -  “Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus”; I João 3:1 – “Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus...”.

Você renegaria um filho? Muito menos Deus! Ele nos recebe como filhos no momento de nossa conversão, e é nessa situação - de filho de Deus - que permaneceremos para todo o sempre. 


Mas há mais um motivo para que o convertido não perca a salvação: o selo do Espírito Santo.  Quando Jesus ascendeu aos céus, ele nos deixou o Espírito Santo – a terceira pessoa da Trindade – para nos abençoar, nos guiar, convencer e converter. Entretanto, há ainda uma outra função do Espírito: Ele é o selo que marca o convertido. Ele é o penhor, que garante a volta de Jesus para nos buscar! É como o selo que garante que a carta, ou a encomenda, será entregue!

Efésios 1:13, 14; 4:30 – “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa, o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória... E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”. Também II Coríntios 1:22 e 5:5 – “O qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações... Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu também o penhor do Espírito”. 


Você sabe o que é “contrato de penhor”? É um documento usado em um empréstimo bancário. A pessoa pega o dinheiro e deixa alguma coisa como garantia, por exemplo, uma jóia, um relógio etc. A jóia é a garantia do pagamento da dívida. Deus fez da mesma forma: Ele deixou a si próprio (na pessoa do Espírito Santo) como penhor, como garantia, de que um dia Jesus vai voltar para nos buscar! Poderia Deus selar alguém e depois “des-selar”, isto é, retirar o selo??? Algum desavisado poderia dizer: “ah, mas o Espírito se retirou de Saul”; mas quem diz isso mostra que não entendeu ainda o conceito das dispensações – no tempo de Saul, Deus agia de forma diferente daquela que age hoje, a era da Igreja (ou “da graça”, como queira). Este é o link mais uma vez.

Ainda assim, é inevitável a pergunta: “e se a pessoa se desviar, ela vai continuar salva?”... essa pergunta surge porque se pensa que todos os membros de uma igreja são convertidos. Infelizmente não são. Há pessoas que estão na igreja pelos mais diversos motivos: gostam de cantar, acham a companhia agradável; é fácil fazer amizades, etc., mas ainda não são convertidas! Essas pessoas, que nunca foram salvas, não vão perder a salvação, porque ninguém perde o que nunca teve! 


Daí o perigo de ficar fazendo shows e outras atrações “para manter o jovem na igreja”, sem se preocupar em ensinar as Verdades Eternas do Evangelho! Muitos que hoje frequentam “baladas gospel” estão de fato perdidos! Muitos que hoje andam travestidos de “levitas” fazendo shows gospel nunca nasceram de novo! Cobrando cachê e direitos sobre suas músicas toscas como se fossem artistas de Hollywood! Foram criados “na igreja”, mas nunca se converteram! Quando “se desviam”, estão apenas voltando ao lugar de onde, de fato, nunca saíram! II Pedro 2:22.

Em Mateus 7:21 Jesus adverte: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”, praticamente repetindo o que havia dito no v. 6: “Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”. Paulo, escrevendo a Tito, cita esse tipo de “cristão nominal” (Tito 1:16): “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra”.

Entretanto, felizmente há pessoas que realmente são convertidas. O Espírito Santo habita nelas. Elas são salvas. Se por um acaso se afastarem, com certeza não perderão a salvação, mas sim o Senhor as trará de volta, arrependidas, pois Ele é fiel e justo para perdoar os pecados.  “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (I João 1:9). 



Vale lembrar que na Cruz do Calvário, Jesus pagou TODOS os nossos pecados, ou seja, aqueles que foram praticados até a nossa conversão, e aqueles que infelizmente haveremos de praticar até o fim de nossa vida na terra. Tem gente que pensa que não, que Jesus “só pagou os pecados pelos quais nos arrependermos”, e por isso insistem em que devemos fazer uma espécie de “clínica espiritual” pelo menos uma vez por ano - os tais “encontros” também - uma espécie de Ramadã evangélico, para ver se não esquecemos algum pecado não confessado. Para isso recorrem até mesmo a sessões de regressão, confessando histericamente pecados cometidos na infância (dos quais nem nos lembramos), pecados cometidos por nossos pais e ancestrais (à maneira dos mórmons) e outras aberrações. Não, Jesus já pagou TODOS os nossos pecados; caso contrário a expiação vicária de Jesus seria incompleta! 

Se a salvação pode ser perdida amanhã ou depois, torna-se algo incerto, e aí nos equiparamos aos espíritas, católicos e adeptos de outras religiões, as quais ensinam que a pessoa precisa reencarnar, pagar pecados no purgatório, evoluir etc. Se a salvação é algo incerto, para que pregar o Evangelho? Por que uma pessoa trocaria uma incerteza por outra?


Outros pensam que então podemos pecar à vontade, pois se “uma vez salvos, salvos para sempre”, não importa o quanto pequemos, estamos garantidos e podemos cair na farra, num oba-oba sem fim. Não é isto – a garantia da salvação que Jesus nos dá em momento algum deve servir para pecarmos livremente, porque aquele que conhece a Jesus não age assim. E sinceramente, eu acho que quem pensa dessa forma não é salvo! É um picareta que só quer se dar bem, levar vantagem em tudo, como se a salvação e a vida cristã fossem um negócio onde a pessoa tem que ter lucro, mesmo que seja na base da esperteza! Leia de novo Tito 1:16. 

O crente peca sim, mas involuntariamente, e logo em seguida vê a gravidade do erro que cometeu, rogando o perdão do Senhor. O convertido não fica à vontade no pecado, porque as trevas não podem subsistir juntamente com a luz do Espírito Santo que nele habita.
Hebreus 10:23 nos exorta: “Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu”. Sejamos portanto fiéis!
Mas também posso deixar dois alertas: o primeiro, é se você pensa ser cristão, faça todo dia o que manda I Coríntios 11:28, “examine-se, pois, o homem a si mesmo”, a cada dia, não apenas “no dia da ceia”! Veja se seus atos  refletem a salvação que você alega ter. Veja se condizem com a “perseverança dos santos”.

O segundo é para você que não tem certeza da salvação. Saiba que você pode sim ter essa certeza, e mais ainda, de nunca mais perdê-la. Basta você crer que Jesus Cristo é o Senhor, que veio para substituir você na cruz - e que aquele sacrifício foi suficiente para apagar todos os seus pecados. Entregue-se a Cristo hoje mesmo, e nunca, nunca mais, você será lançado(a) fora!


doa a quem doer!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

links

os melhores blogs evangélicos

2leep.com

top visitas

agregadores

About This Blog

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP